Episódio 2 - Impeachment? Por que?

No primeiro episódio nós falamos sobre o básico do que está acontecendo no Brasil agora: a presidente honesta que apoia ações contra corrupção está sendo derrubada pelos próprios políticos corruptos, unidos.

Como é possível que tamanha injustiça aconteça?

Nós mencionamos brevemente o papel da grande mídia de divulgar uma falsa perspectiva e fazê-la penetrar em uma considerável parte da população.

Ao ignorar completamente as maiores e mais sérias questões, e ao mesmo tempo focar e insistir pesadamente em questões menores, a grande mídia finge que as verdadeiras razões para o impeachment não existem ou não são importantes.

Dando uma rasteira num país

O impeachment de Dilma é uma grande tragédia de enormes proporções. É muito importante estar consciente do que realmente está em jogo.

Não é somente um golpe em uma pessoa. Não é somente um golpe no Partido dos Trabalhadores. É ainda mais do que um golpe em toda a esquerda. Não é somente um golpe na democracia. É um golpe no Brasil.

E é mais do que um golpe no Brasil. É um golpe no próprio BRICS - a promissora união entre Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. É também um golpe em todos os governos populares da América do Sul.

É a dissolução do futuro brilhante de uma nação.

Vamos entender isto melhor.

1. Combate à corrupção

O apoio de Dilma ao empreendimento de investigações contra corrupção não é mero discurso ou hipocrisia. Ele se traduz em ações e números.

As operações e prisões relacionadas à corrupção atingiram recordes históricos. Diversas leis foram criadas para detectar apropriadamente e punir o uso ilícito do dinheiro público. A Polícia não é bloqueada ou censurada pelo governo no cumprimento de suas tarefas investigativas.

Com este posicionamento e uma firme postura em fazer justiça, Dilma atraiu a má vontade de uma gigante e poderosa rede nacional de enriquecimento ilícito.

A corrupção no Brasil é um problema grande e real. Verdadeiramente estar contra essa corrente é um ato corajoso por si mesmo.

Não obstante, 100% de todos os cidadãos e políticos concordam neste ponto. Todos falam "contra a corrupção", incluindo aqueles que a praticam.

É fácil para mim e para você estarmos contra a corrupção. Dilma sofre as consequências de ser presidente e verdadeiramente estar contra a corrupção. Não apenas em palavras, mas também em pensamentos e ações.

2. Reforma Política

Em 2013, nós tivemos diversas manifestações no Brasil, quando um considerável número de pessoas foi às ruas para protestar por mudanças.

Reforma Política foi a resposta de Dilma para o clamor que vinha das ruas.

O significado da mensagem era: com o atual sistema político, chances para mudanças significativas e importantes são muito limitadas.

A reforma política proposta representa uma série de mudanças em como os representantes da sociedade são escolhidos, bem como no modo pelo qual as políticas públicas a serem implementadas são elaboradas e decididas.

A ideia básica é fazer com que as políticas públicas sejam mais influenciadas pela sociedade. Aumentar a participação popular nas decisões. Um movimento em direção à abertura e participação. Em direção à transparência e colaboração.

Naquele momento o papel da grande mídia foi o de ignorar ou desacreditar a reforma política como sugerida por Dilma, focando em aspectos secundários da mesma. Nas redes sociais, a iniciativa foi acusada de ser um perigoso ataque comunista.

Em setembro de 2014 cerca de 500 organizações no país inteiro promoveram um plebiscito para avaliar o apoio da população em relação à reforma política no Brasil. De um total de 7.754.436 de votos, 97% declararam ser favoráveis à reforma política. Cerca de 7,5 milhões votaram "sim".

Esta é uma realização muito expressiva. Mas o silêncio é uma das armas da grande mídia.

Assim como efetivamente agir contra a corrupção, da mesma maneira, apoiar seriamente a ideia de dar mais poder para o povo através de uma reforma política é um caminho concreto para atrair um punhado de inimigos poderosos.

É simples de entender que aqueles que colhem benefícios do atual sistema político corrompido não querem verdadeiras mudanças no mesmo.

3. Democratização da Mídia

Na Constituição Federal do Brasil, artigo 220, 5° parágrafo, está explicitamente expresso:

  • Os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio ou oligopólio.

Trazer esta simples declaração à realidade no Brasil implica mudanças dramáticas na comunicação do país.

Mas isto é apenas a ponta do iceberg: os artigos 220, 221, 222 e 223 pintam um quadro onde a mídia deveria expressar a pluralidade de vozes que este rico país contêm.

Infelizmente o que nós realmente temos aqui agora é um poderoso e monolítico conglomerado que tende a transformar qualquer voz dissonante em ridículo - ainda que esta voz seja do próprio Papa.

Levantar a bandeira da democratização das comunicações resultou numa união de forças sem precedentes da grande mídia contra o governo de Dilma.

Além disso, a grande mídia retrata a iniciativa da democratização como censura. Trata-se justamente do oposto: a democratização visa a dar voz aos que não são ouvidos.

4. Petróleo e Educação

Cada um desses itens pode ser visto como razão suficiente para a derrubada de um governo:

  • verdadeira ação contra corrupção,
  • apoio à reforma política inclusiva,
  • e democratização da mídia.

Existe ainda outra causa de incômodo para a plutocracia que está tocando o golpe em curso no Brasil. Em uma palavra: Educação.

Ignorância é o seu suporte mais forte. Consciência é o seu verdadeiro inimigo.

O lema de Dilma para o seu segundo mandato é: "Brasil, Pátria Educadora".

Todos sabem no Brasil que devido aos governos do Partido dos Trabalhadores, o país acabou sendo removido do Mapa da Fome (que é um relatório feito pela ONU).

Após a realização bem-sucedida desse primeiro passo básico - alimentar o estômago - uma nova meta foi estabelecida: alimentar o povo com conhecimento e cultura.

Este é um empreendimento muito caro.

E aqui o fator petróleo se encaixa.

Você pode ter ouvido falar sobre o "pré-sal". O “pré-sal” é uma área de reservas petrolíferas encontrada sob uma profunda camada de rocha salina, que forma uma das várias camadas rochosas do subsolo marinho.

O ex-presidente Lula considerou sua descoberta no Brasil uma benção de Deus. A fonte de dinheiro para o caro empreendimento da Educação em uma nação de tamanho continental.

O valor do petróleo encontrado na camada pré-sal da costa brasileira é estimado em trilhões de dólares.

Aqueles interessados em impeachment podem facilmente comprar muitos deputados brasileiros com uma pequena fração dessa quantia.

A intenção de vender barato este tesouro nacional para companhias estrangeiras foi explicitamente expresso. Esta intenção foi claramente afirmada por políticos brasileiros em comunicações por e-mail. Algumas mensagens foram vazadas na internet e, como de hábito, ignoradas pela grande mídia.

A empresa pública mais forte do Brasil, a gigante do petróleo Petrobrás sofre uma campanha pesada para manchar sua reputação. O objetivo é transferi-la para o domínio privado pelo preço mais barato possível.

Mais uma vez, a grande mídia atua num papel central. Os cidadãos deveriam estar defendendo o seu tesouro, mas acabam se unindo ao coro da mídia. Eles promovem a venda barata como se a empresa já tivesse sido espoliada pelo Partido dos Trabalhadores.

Enquanto a população enganada se orgulha de estar "lutando contra a corrupção", eles estão sem piedade literalmente matando o ganso dos ovos de ouro.

É uma vergonha que aqueles que foram eleitos e são pagos pelo povo e para o povo estão fazendo de si mesmos os destruidores da educação e dos recursos de seu próprio país.

5. BRICS

O poder financeiro único e intocável por trás dos bancos é voltado para uma só coisa: o lucro. Este tem sido o princípio sagrado, acima de qualquer outro.

Quando a criação do banco dos BRICS foi anunciada, foi recebida como uma grande boa nova por muitos. Foi percebida como se nós finalmente começássemos a ter algum equilíbrio, por ter um novo poder financeiro significativo voltado para o desenvolvimento.

BRICS - Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A grande mídia nacional no Brasil não deu mais do que a mínima atenção para o assunto.

Sinceramente falando, no Brasil, se você não tem outras fontes confiáveis de informação, você é deixado no escuro. Apesar de consumir notícias, você é mantido desinformado.

Um golpe no Brasil é também um golpe no BRICS - enfraquecendo essa poderosa coalizão que tem o potencial de efetivamente ser um fator de mudança global.

O Sacrifício de um Futuro Brilhante

Em 2008, uma crise econômica global atingiu o mundo, mas o Brasil sob o governo do Partido dos Trabalhadores não sofreu uma recessão.

De maneira semelhante, em 2015, apesar do tom catastrófico da mídia, o Brasil estava novamente atravessando uma severa crise global com um impacto reduzido e uma perspectiva positiva.

O governo não negou a existência de uma crise e a necessidade de ajustes, que foram feitos em 2015 e impactaram negativamente a economia.

A perspectiva é superar esse momento e começar a crescer novamente.

Enquanto a mídia fala exclusivamente sobre a crise, existem muitos aspectos positivos e concretos no cenário atual: O fim da fome. Inclusão social. Aumento progressivo do salário mínimo. Copa do Mundo. Olimpíadas. Diversas Universidades Federais inauguradas. Grandes obras - como a transposição do rio São Francisco, a represa de Belo Monte, ferrovias. E um promissor plano para a Educação.

Isto e muito muito mais é o que está sendo jogado fora. Nós deveremos ter um episódio apenas para listar as coisas boas em andamento que são absolutamente "esquecidas" pela grande mídia.

É verdade que o país atravessa uma crise econômica no momento. Apesar de todos os problemas reais que o país ainda precisa solucionar, nenhum deles justifica um impeachment.

Ao invés de ajudar a combater os problemas, os apoiadores do impeachment tiram vantagem deles: quanto pior a situação, melhor, porque a popularidade do governo diminui.

Nós deveríamos é unir forças em favor do melhor para o povo do país.

O Congresso deveria fomentar soluções. Ao invés disso, atua bloqueando-as. (Devemos ver mais detalhes sobre isso em episódios futuros.)

Bom demais para ser verdade

Dilma não cometeu crime algum. O impeachment está sendo forjado por diversos motivos, pela ação coordenada de diversos atores.

Como vimos, os motivos incluem:

  • verdadeira ação contra a corrupção
  • apoio à reforma política
  • fim do oligopólio da mídia
  • trilhões do petróleo do pré-sal
  • Pátria Educadora
  • banco BRICS
  • enormes obras de infra-estrutura

Como conseqüência, isto traz a oposição de:

  • verdadeiros corruptos e criminosos
  • políticos de carreira
  • grande mídia
  • companhias petrolíferas internacionais
  • todos os que lucram com a ignorância
  • OTAN, FMI, Banco Mundial
  • poderes imperialistas

Como podemos ver, a quantidade de coisas boas é proporcional à quantidade de poderes e forças que se uniram e agiram contra o governo do Partido dos Trabalhadores, apoiando a atual fraude que é o processo de impeachment da presidente Dilma.

Nós estamos neste momento reféns de um governo interino criminoso. Nós apenas queremos nosso governo legítimo de volta.

Está em andamento um brutal assalto ao país. Uma tentativa de usurpar o poder, atendendo a interesses privados e estrangeiros.

Isto é o que está acontecendo no Brasil.

Obrigado por escutar

Você pode apoiar este trabalho participando do debate.

Visite discuss.whatisgoingoninbrazil.com

Obrigado.