Cidadão Brasileiro

J Bruni, abreviação de João Henrique de Andrade Bruni, nasceu em 5 de dezembro de 1978, em Araraquara, no interior do estado de São Paulo, Brasil.


Educação

Muito rapidamente, com apenas uma semana de vida, passou a morar na cidade de São Paulo, a capital do estado, onde foi criado.

Passou por todo o ensino primário e secundário como um estudante brilhante, sempre um dos melhores de sua classe, entrando na Universidade com apenas dezessete anos de idade.

Colegial Técnico

J Bruni estudou Processamento de Dados na "Escola Técnica Estadual São Paulo" - ETESP - de 1993 a 1995.

Algumas lembranças daquele período:

  • A notícia de que o primeiro processador Pentium da Intel havia sido lançado, à venda pelo preço de US$9.000,00 (nove mil dólares)!

  • Numa ocasião em que não havia professor disponível para a disciplina de "programação", J Bruni deu aulas ele mesmo para os seus colegas.

  • Seus primeiros trabalhos remunerados, principalmente seu estágio na USP (Universidade de São Paulo), em 1995, onde ele começou a usar a internet, quando ainda era desconhecida pela maioria no Brasil.

Universidade

J Bruni formou-se como "Produtor Audiovisual", ao completar o curso superior de "Imagem e Som (Artes)", graduação oferecida pela Universidade Federal de São Carlos.

  • A vídeo-performance "persona comigo" foi produzida por ele e apresentada ainda em seu primeiro semestre de curso. Duas televisões conversavam, uma com a outra, através de personagens atuando em cada uma delas, e também havia a interação com ator humano ao vivo, em pessoa. Entre outras cenas interessantes, a mais marcante era aquela em que o ator humano conversava com ele mesmo na televisão, e seu personagem na televisão ironicamente respondia: "a realidade está aqui dentro"...

  • O vídeo "O Fim do Tempo", documentário educacional sobre o calendário maia e o calendário de 13 luas, foi produzido como trabalho de conclusão de curso.

  • Apesar de "Imagem e Som" ser um curso de graduação na área de Humanas, conduzido pelo Departmento de Artes da Universidade, ele tem um mix interessante de disciplinas, cobrindo os três aspectos principais da Arte, Tecnologia e Mercado (ideia, produção e vendas).


Idiomas

  • Português é a língua materna de J Bruni. É notável que aos 10 anos de idade ele tenha sido o único a escrever corretamente a palavra "exceção" em um ditado (tornando-se, de fato, uma "exceção"). (Esta é realmente uma palavra "difícil" em português.)

  • Inglês é o segundo idioma de J Bruni, visto que ele pode ler e ouvir compreendendo muito bem, assim como escrever. A pronúncia ao falar é compreensível, mas por viver no Brasil e não ter tantas chances de praticá-la, ele espera ir melhorando esta habilidade ao longo do tempo, com a devida prática.

  • Espanhol: para muitos brasileiros, incluindo J Bruni, é muito fácil ler em espanhol devido à grande semelhança entre os idiomas espanhol e português. Mas a facilidade termina aí: sem prática e estudo, não é possível escrever, escutar ou falar nesta linguagem corretamente. No entanto, com algum esforço é possível se fazer entender.

  • Alemão: J Bruni aprendeu um pouco deste idioma, pois a profissão de sua mãe era professora de alemão.

  • Japonês: Fascinado por aqueles incríveis e misteriosos "hieróglifos", a curiosidade de J Bruni o levou a frequentar algumas aulas de japonês (foram 3 semestres), onde aprendeu a ler e escrever em Katakana e Hiragana, e também um pouquinho de Kanji.


Primeiras Experiências Profissionais

IEE-USP

Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo. J Bruni trabalhou lá de janeiro a julho de 1995. Sua responsabilidade era cuidar da rede e dos computadores pessoais, dando suporte para o staff nas várias edificações do Instituto, bem como desenvolver novo software.

Pixel informática

Pequena software-house, fundada por um ex-professor de J Bruni, que o convidou para trabalhar em seu recém-criado negócio. Ficando ali por apenas dois meses (julho e agosto de 1995), Bruni aprendeu a trabalhar com Delphi, que havia sido recentemente lançado pela Borland. Ele saiu desse emprego devido à pressão da família, solicitando que se concentrasse nos estudos pré-vestibular.

Condex informática

Pequena software-house localizada em Goiânia. Seu produto principal é o "Condex Gerencial", um sistema de automação comercial, mais usado para vendas em PDV (ponto de venda). Como desenvolvedor, J Bruni fez manutenção e melhorias no software, durante o pequeno período em que trabalhou lá, de janeiro a março de 2006. Novamente, 10 anos depois, a ferramenta usada foi o Borland Delphi.


...e mais uma década depois...

Os trechos auto-biográficos acima foram escritos por mim no início de 2007, usando a terceira pessoa, originalmente em inglês.

Há muito mais estória antes e depois disso.

Basicamente, desde que me casei no final de 2006, nós tivemos dois filhos, e eu permaneci trabalhando como desenvolvedor de software..

A iniciativa O Que Está Acontecendo No Brasil busca oferecer o ponto de vista de um Cidadão Brasileiro sobre o que está acontecendo por aqui atualmente.

Enquanto todas as publicações da grande mídia estão amarradas ao diminuto escopo daquilo que seus proprietários permitem que seja publicado, aqui você irá encontrar a narrativa de alguém que está livre dessa algema específica.

Aqui você irá encontrar a perspectiva de um cidadão consciente.